em99t

ve minha sorte nas cartas

Buscando uma "rota de fuga" após ter o mandato de deputado federal cassado, Deltan Dallagnol (Podemos-PR) tem avaliado convites de empresários, assim como propostas oriundas de partidos políticos - na última terça-feira (6), após uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ex-coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba teve a cancelamento do mandato confirmado pela Mesa Diretora da Câmara dos Deputados. A sua casa atual já chegou a oferecer uma função remunerada. Contudo, outra sigla fez uma proposta para uma troca de partido que inclui uma oferta de salário igual ao que ele recebia como deputado e ainda a manutenção de sua equipe. A decisão do ex-Lava Jato, conforme a colunista Juliana Dal Piva, do UOL, deve levar em conta a questão financeira. VEM AÍ?Mc Pipokinha pode investir em nova carreira; saiba qual ECONOMIA & MERCADOPix bate novo recorde e registra quase 250 milhões de transações em 48 horas Na última quarta-feira (7), o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu, por 6 votos a 5, manter a condenação do ex-procurador da República e obrigá-lo a ressarcir os valores gastos indevidamente com diárias e passagens aéreas quando atuava na força-tarefa da Operação Lava Jato. window.uolads && window.uolads.push({ id: "banner-300x250-1-area" }); Em 2022, o Tribunal de Contas da União (TCU) entendeu que o modelo montado para manter o funcionamento da força-tarefa gerou prejuízos de R$ 2,8 milhões aos cofres públicos. Ainda segundo a colunista, apesar da intenção dele em permanecer no Podemos, nada está descartado.